quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

"A Monsanto não é confiável", Marie-Monique Robin

Marie-Monique Robin em entrevista à Época, diz que não se pode confiar na empresa Monsanto. Abaixo, um trecho da entrevista:
ÉPOCA – Existem outras companhias que também desenvolvem a biotecnologia e possuem patentes sobre sementes. Por que fazer um livro exclusivamente sobre a Monsanto?

Marie-Monique Robin -
Há cinco anos, quando trabalhava em três documentários sobre biodiversidade e os organismos geneticamente modificados – e ainda acreditava que eles não teriam problemas – eu acabei viajando muito. Fui para Canadá, México, Argentina, Brasil e Índia, e em todas essas regiões eu sempre encontrava denúncias contra a Monsanto. Foi quando eu decidi buscar quem é essa companhia que agora é a maior produtora de biotecnologia e de alimentos geneticamente modificados do planeta.

o mundo segundo monsantoÉPOCA – E como seria esse mundo segundo a Monsanto que você descobriu?

Marie -
Cheio de pesticidas. Cerca de 70% dos alimentos geneticamente modificados são feitos para serem plantados com uso do agrotóxico Roundup. Ao comer uma transgênico, a pessoa está praticamente ingerindo Roundup. E, ao contrário do que propagou a Monsanto, esse pesticida não é bom ao meio ambiente e muito menos biodigradável. Ele é muito tóxico. Tenho certeza de que nos próximos cinco anos ele vai ser proibido no mundo, tal como aconteceu com outro produto da companhia, o DDT. O mundo segundo a Monsanto também é dominado por monoculturas. O que é um problema para a segurança alimentar, pois concentra a produção de alimentos na mão de poucos. Também considero arriscado deixar a alimentação mundial na mão de companhias que no passado produziam venenos e armas químicas como o agente laranja, despejado por tropas americanas no Vietnã.

ÉPOCA – Os transgênicos são festejados por reduzirem o uso de pesticidas. Eles não teriam ao menos esse lado bom?

monsantoMarie – Não, isso é mentira. Os transgênicos não reduzem o uso de agrotóxicos. Pelo contrário, eles geram ervas daninhas cada vez mais resistentes aos agrotóxicos. Os transgênicos são apenas uma forma da Monsanto controlar a produção de alimentos no mundo.
Na entrevista a autora informa qual será o tema do seu próximo livro: "a relação entre a comida que consumimos depois da Revolução Verde e o aumento de doenças como o câncer e o Parkison". Com certeza será outro livro bombástico!
A Revista Época também procurou a Monsanto, que em sua defesa até fez uma página no seu site. Lógico, que eles informam que o Roundup não faz mal à saúde humana e nem ao ambiente; que não existem conexões corporativas com governos americanos; que o hormônio de crecimento bovino não é danoso e já foi testado pelo FDA e que não há evidências entre a exposição aos PCBs e o câncer. Enfim, prefiro acreditar nas palavras de Marie-Monique, "A Monsanto não é confiável".
Para quem não pode assistir ao debate e ao documentário, fiz aqui um repasse sobre o evento que contou com a presença da autora.

Um comentário:

JHU disse...

Tá rolando no YouTube 11 capítulos do filme

1/11 a 11/11 O Mundo Segundo a Monsanto [Legendas pt-Br]

Vale a pena conferir.